Quinta dos Roques e Quinta das Maias

Duas Quintas, dois matemáticos e uma invenção muito premiada.

Conta-se que há 200 anos que os Roques produzem vinho. Porém, foi na sua história mais recente que esta família se começou a destacar pela invulgaridade de currículos e experiências, factor que conduziu ao renascimento do espírito do Dão – Região Demarcada desde 1908, situada no centro de Portugal.
Há duas gerações que o negócio, que tem por base a Quinta dos Roques e a Quinta das Maias – também propriedade da família – é assegurado por mulheres. No entanto, Maria Luísa Roque Oliveira, formada em Matemática e com uma carreira na mesma área, estava longe de assumir os destinos das Quintas. O desafio de levar para a frente a tradição impôs-se e, juntando-se ao seu marido Luís Lourenço – também matemático, comprometeram-se em produzir um vinho de excelência. Depois de muito trabalho a compensação surgiu: inventaram o Vinho Branco Encruzado fermentado em carvalho. Um vinho com uma capacidade ímpar de envelhecimento e que tem sido alvo de elogios de júris internacionais, contando também com alguns prémios.

Quinta dos Roques e Quinta das Maias