O clima influencia os vinhos?

Características comuns das regiões vitivinícolas de Portugal

Portugal, apesar de ser um país com reduzida extensão territorial, possui uma riqueza climática profunda. As 14 regiões vitivinícolas do país, marcam características vincadas nos vinhos que aí são produzidos. Aqui, vamos apenas referir as mais comuns de cada região e como se revelam.

Vinho Verde

A influência atlântica directa resulta numa paisagem verde, daí o nome da região. É extremamente húmida, com temperaturas frescas e chuva abundante durante todo o ano. Estas condições, criam um ambiente óptimo para a produção de vinhos brancos e espumantes frescos, límpidos e de maior intensidade aromática.

Trás-os-Montes

Caracteriza-se pela altitude elevada, sendo condicionada por um clima continental rigoroso que apresenta verões longos e escaldantes, seguidos por invernos prolongados e gélidos. É possível encontrar vinhos com pouca cor e acídulos, mas também vinhos escuros, concentrados e espessos.

Douro e Porto

Mais conhecida pela região onde é produzido o famoso vinho do Porto, o Douro é uma das regiões mais agrestes e naturais de Portugal. Fortemente montanhosa, encontra-se protegida da influência atlântica pela Serra do Marão. O clima é habitualmente seco, com invernos frios e verões muito quentes. Os vinhos do Douro possuem características de cor intensa e taninos fortes, que lhes permitem um bom potencial de envelhecimento.

Távora-Varosa

Pelas suas características morfológicas de vale em alta altitude, esta pequena região está especialmente talhada para a produção de vinhos espumantes naturais, que se distinguem como sofisticados, frescos, persistentes e muito aromáticos.

Bairrada

É uma região plana e litoral, de forte influência atlântica, com chuvas frequentes e temperaturas médias suaves. O clima fresco e húmido proporciona o crescimento de uvas de acidez elevada e baixa graduação alcoólica, que demarcam assim as características dos vinhos desta região: brancos frutados, tintos aveludados e espumantes vigorosos e frescos. Os espumantes são a sua marca histórica.

Dão

As montanhas que circundam esta região, protegem  as vinhas da influência do clima continental e marítima, permitindo a produção de  vinhos com um aroma sofisticado, aveludados, redondos e persistentes no sabor. Esta região é conhecida pelos tintos agradáveis, elegantes e delicados que podem ser saboreados por si só.

Beira Interior

É a região mais montanhosa de Portugal continental, onde estão localizadas algumas das serras mais altas. Tem influência continental extrema, com variações de temperatura díspares: verões curtos, quentes e secos, e invernos prolongados e bastante frios. Tais condições, produzem vinhos muito aromáticos e macios.

Lisboa

A região é complexa, com uma enorme diversidade geológica, orográfica e de variedade de castas, o que permite também uma enorme diversidade nos tipos de vinhos. As vinhas posicionadas junto à costa, sofrem de uma forte influência atlântica. As vinhas do interior, protegidas da influência marítima pelas colinas, beneficiam de um clima mediterrânico de transição.Entre as inúmeras características dos vinhos da região de Lisboa sobressaem a cor, a riqueza alcoólica, a acidez, a estrutura e o aroma.

Tejo

São duas as serras que delimitam esta região e impõem um clima sub-mediterrâneo temperado, também influenciado pela proximidade do rio Tejo. Estes factores, conferem aos vinhos desta região uma identidade muito própria. São macios, aveludados, frutados, revelando ainda um bom corpo.

Península de Setúbal

Famosa pelo delicioso Moscatel (vinho fortificado), não se limita à produção dos mesmo. A sua localização geográfica varia entre zonas planas e arenosas, com forte influência da Serra da Arrábida, cujo clima é mediterrânico: verões quentes e secos, invernos amenos mas chuvosos com humidade elevada. Só as vinhas mais próximas da Serra da Arrábida, pela altitude elevada e pela proximidade ao mar, beneficiam de um clima mais atlântico. As características mais marcantes dos seus vinhos são: aromas florais nos brancos e sabores suaves a especiarias e frutos silvestres nos tintos.

Alentejo

Caracteriza-se por extensas planícies, com vinhas a perder de vista, sob o sol escaldante que ilumina e amadurece as uvas. O clima quente e seco confere aos vinhos características únicas e complexas. Nos brancos a elegância aromática sobressai revelando vinhos modernos. Os tintos são redondos, cheios e agradáveis, com uma boa concentração de cor, aromas, e corpo. Os taninos são geralmente suaves. Os vinhos alentejanos têm ainda  a capacidade de evoluírem bem e rapidamente.

Algarve

O Algarve encontra-se separado do Alentejo por uma cadeia montanhosa praticamente contínua, que percorre a região desde a fronteira espanhola até à costa atlântica. Esta cadeia,  bloqueia os ventos frios do norte. O clima é quente, seco e pouco ventoso, devido a esta barreira e também à forte exposição ao sol. Os seus vinhos resultam macios, pouco acídulos e ligeiramente alcoólicos, sendo os tintos de cor definida ou granada e os brancos de cor palha.

Madeira

É um arquipélago extremamente montanhoso, de altas encostas e vales profundos. Situado no atlântico norte,  possui um clima temperado, húmido e com temperaturas amenas durante todo o ano. Os solos de origem vulcânica são muito férteis, proporcionando vinhos com acidez elevada, característica marcante em todos os vinhos da Madeira. Mas a maior riqueza desta região está na produção da sua estrela: O vinho da Madeia – um vinho licoroso (fortificado) com uma longevidade quase ilimitada, capaz de sobreviver por séculos. Este é um vinho doce, extremamente aromático e delicioso!

Açores

Este arquipélago de 9 ilhas é influenciado pela inevitável proximidade marítima, que origina uma precipitação elevada e temperaturas amenas, constantes. Para proteger as vinhas do clima, estas são circundadas por muros de pedra vulcânica, que libertam o calor acumulado durante o dia, aquecendo as uvas durante a noite. Os vinhos açoreanos são produzidos em condições extremas, mas ainda assim oferecem frescura, boa acidez e leveza. Tal como na Madeira, também aqui se produzem vinhos licorosos.

Mapa gentilmente cedido por ViniPortugal
www.viniportugal.pt

 

 13-Fevereiro-2013